Energia Eólica


História da energia eólica








           Já há quatro milênios as pessoas usavam a energia eólica na forma de barcos à vela no Egito. As velas capturavam a energia no vento para empurrar um barco ao longo da água.









           Os primeiros moinhos de vento, usados para moer grãos, surgiram entre 2 mil a.C., na antiga Babilônia, e 200 a.C. na antiga Pérsia, dependendo de para quem se pergunta. Estes primeiros dispositivos consistiam em uma ou mais vigas de madeira montadas verticalmente, e em cuja base havia uma pedra de rebolo fixada ao eixo rotativo que girava com o vento.


           O conceito de se usar a energia do vento para moer grãos se espalhou rapidamente ao longo do Oriente Médio e foi largamente utilizado antes que o primeiro moinho de vento aparecesse na Europa. No início do século XI d.C., os cruzados europeus levaram o conceito para casa e surgiu o moinho de vento do tipo holandês com o qual estamos familiarizados.



          
         O desenvolvimento da tecnologia da energia eólica moderna e suas aplicações estavam bem encaminhados por volta de 1930, quando estimados 600 mil moinhos de vento abasteciam áreas rurais com eletricidade e serviços de bombeamento de água. Assim que a distribuição de eletricidade em larga escala se espalhou para as fazendas e cidades do interior, o uso de energia eólica nos Estados Unidos começou a decrescer, mas reviveu depois da escassez de petróleo no início dos anos 70.




           Nos últimos 30 anos, a pesquisa e o desenvolvimento variaram com o interesse e incentivos fiscais do governo federal. Em meados dos anos 80, as turbinas eólicas tinham uma capacidade nominal máxima de 150 kW. Em 2006, as turbinas em escala de geração pública comercial têm potência nominal comumente acima de 1 MW e estão disponíveis em capacidades de até 4 MW.

Referências:
http://ambiente.hsw.uol.com.br/energia-eolica.htm




Vantagens e desvantagens

Vantagens da Energia Eólica
  • É inesgotável;
  • Não emite gases poluentes nem gera resíduos;
  • Diminui a emissão de gases de efeito de estufa (GEE).

Vantagens para a comunidade
  • Os parque eólicos são compatíveis com outros usos e utilizações do terreno como a agricultura e a criação de gado;
  • Criação de emprego;
  • Geração de investimento em zonas desfavorecidas;
  • Benefícios financeiros (proprietários).

Vantagens para o estado
  • Reduz a elevada dependência energética do exterior;
  • Poupança devido à menor aquisição de direitos de emissão de CO2 por cumprir o protocolo de Quioto e directivas comunitárias e menores penalizações por não cumprir;
  • É uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais.
Vantagens para os promotores
  • Requer escassa manutenção (semestral);
  • Boa rentabilidade do investimento.
Desvantagens da energia eólica
  • A intermitência, ou seja, nem sempre o vento sopra quando a electricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração;
  • Pode ser ultrapassado com as pilhas de combustível (H2) ou com a técnica da bombagem hidroeléctrica.
  • Provoca um impacto visual considerável, principalmente para os moradores em redor, a instalação dos parques eólicos gera uma grande modificação da paisagem;
· Impacto sobre as aves do local: principalmente pelo choque destas nas pás, efeitos desconhecidos sobre a modificação de seus comportamentos habituais de migração;
· Impacto sonoro: o som do vento bate nas pás produzindo um ruído constante (43dB(A)). As habitações mais próximas deverão estar, no mínimo a 200m de distância.
Referências:
http://www.portal-energia.com/vantagens-desvantagens-da-energia-eolica/
http://interioreolico.wordpress.com/a-energia-eolica/vantagens-e-desvantagens/


Sites sugeridos para melhor aprofundamento:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/energia-eolica/energia-eolica.php
http://www.cresesb.cepel.br/content.php?cid=tutorial_eolica




Como funciona uma usina eólica

           A energia eólica é a energia cinética dos deslocamentos de massas de ar, gerados pelas diferenças de temperatura na superfície do planeta. Resultado da associação da radiação solar incidente no planeta com o movimento de rotação da terra, fenômenos naturais que se repetem. Por isso é considerada energia renovável.

           O vento gira uma hélice gigante conectada a um gerador que produz eletricidade. Quando vários mecanismos como esse - conhecido como turbina de vento - são ligados a uma central de transmissão de energia, temos uma central eólica. A quantidade de energia produzida por uma turbina varia de acordo com o tamanho das suas hélices e, claro, do regime de ventos na região em que está instalada. E não pense que o ideal é contar simplesmente com ventos fortes. "Além da velocidade dos ventos, é importante que eles sejam regulares, não sofram turbulências e nem estejam sujeitos a fenômenos climáticos como tufões.


Componentes dos sistemas de energia eólica

 

           Os modernos sistemas de energia eólica consistem de três componentes básicos: uma torre na qual se monta a turbina; um rotor movido pelo vento; e a nacela, abrigo para o equipamento, inclusive o gerador, que converte a energia mecânica de um rotor giratório em eletricidade. A torre que sustenta o rotor e o gerador deve ser resistente. As pás do rotor precisam ser leves e fortes, a fim de se mostrarem eficientes em termos aerodinâmicos e resistirem ao uso prolongado sob ventos intensos. Melhorias no desenho estrutural e nos materiais levaram à construção de torres mais altas, possibilitando que os rotores fossem instalados mais longe do solo, onde os ventos são mais fortes.




Segue abaixo uma reportagem do Jornal Nacional que aborda o uso da energia eólica no Brasil e no mundo, além de refoçar tudo o que foi visto acima. Vale apena conferir.





Referências:




Questões atuais e o futuro

 

           Com a crescente demanda mundial por energia elétrica e o aumento da preocupação com o aquecimento global, muitos especialistas acreditam que o uso da energia eólica vai continuar a crescer. Na medida em que melhorar seu rendimento como fonte de eletricidade, seu mercado deve continuar a se expandir. Contudo, alguns fatores políticos e ambientais vão influenciar este crescimento. Embora a energia eólica seja um meio relativamente não poluente de gerar eletricidade, há impactos associados. Um deles é a alteração da qualidade visual do terreno pela reunião de grande número de turbinas, especialmente quando localizadas em áreas de expressiva beleza natural. Além das preocupações estéticas, o ruído dos rotores das turbinas vem gerando reclamações. Outra preocupação ambiental refere-se ao impacto na vida selvagem.



           Em alguns locais, turbinas eólicas são responsáveis pela morte de pássaros, inclusive espécies protegidas, acidentalmente apanhadas pelas pás do rotor. Algumas destas preocupações ambientais estão sendo solucionadas com uma escolha mais cuidadosa da localização das turbinas eólicas. Outras como o barulho dos rotores, poderão ser parcialmente resolvidas com aperfeiçoamentos nos projetos.

 


 Política de Energia Eólica

 

           A Califórnia já liderou o mundo no desenvolvimento da energia eólica. Contudo, políticas energéticas estaduais e federais inconsistentes e, com freqüência, conflitantes, contribuíram para o declínio do papel da indústria norte-americana de energia eólica. Alguns especialistas prevêem que o crescimento desse tipo de energia na América do Norte continuará a ser inferior ao da Europa no início do século XXI.


           Preocupações e compromissos recentes dos Estados Unidos e do Canadá em reduzir a emissão de gases relacionados ao aquecimento global poderão revitalizar a indústria de energia eólica. Países europeus também estão empenhando esforços no desenvolvimento de recursos energéticos não poluentes: Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Espanha e Grã-Bretanha estão deflagrando programas agressivos de energia eólica. Durante o final da década de 90, estavam sendo instalados anualmente quase 1.500 MW de capacidade de geração de energia eólica, principalmente na Europa e Ásia.



Referências:

8 comentários:

  1. Meus peixinhos,
    Muito bom para 1ª postagem, mas senti falta da postagens informativa sobre a referências do texto... Pensem nisso!

    ResponderExcluir
  2. Muito bem!
    Já estamos na 3ª semana de postagens e o ritmo está muito bom. Os conteúdos estão leves e distribuídos harmonicamente a cada etapa.
    Vamos lá... convidem seus amigos das redes sociais para visitar nosso espaço.
    Um cheiro

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom! Gostei do texto, das imagens e do vídeo! Tomara que o Brasil expanda sua matriz energética eólica, bem como as geradoras de energia sustentável, e que menos áreas, como no caso da hidrelétrica de Belo Monte no rio Xingu (PA), sejam destruídas.

    ResponderExcluir
  5. Bom trabalho Carol, João, Lucas e Thiago. Agora vamos ao nosso espaço físico fazer as considerações finais e avaliar o trabalho do conjunto 83322.
    Parabéns pelo desafio cumprido!!!

    ResponderExcluir